Voluntariar é preciso!

Olá pessoal!  Vejam a seguir o excelente trabalho realizado pelo Grupo Plantão do Riso.

___________________________________________________________

Voluntariar é preciso.

Fonte: http://www.plantaodoriso.com

Companheiros da Alegria

Olá a todos, sem muito delongas e lero lero, já vou direto ao assunto.

VOLUNTARIADO.

Quem faz uso e prática coletiva de trabalhar de forma voluntária sem ganhar um centavo?

A um tempo atrás, antes de vim para SP, estava fazendo um trabalho voluntário fotografando um grupo chamado: Plantão do Riso.
Meu trabalho era simples, documentar através de fotos e de uma forma linda, toda ação prática desse grupo dentro dos hospitais de Taubaté.

É um trabalho maravilhoso, quase que toda vez quando eles entravam e começavam a interagir com os pacientes, quase sempre escorria uma lágrima dos meus olhos, de ver a alegria das pessoas em receber um simples abraço e um simples sorriso dos “médicos de plantão”.

O porque desse post? Porque hoje uma das integrantes entrou em contato novamente comigo, pedindo a gentileza caso eu possa ajudar a criar novas fotos para a edição gráfica e sites do próprio grupo.

A questão é? você fotografo cobraria por esse tipo de serviço? ou faria de uma forma voluntária para sair da rotina, ou para ser um pouco humano em ajudar de forma simples nem que seja doando um pouquinho do seu tempo.

quarta alegre poser

Sempre quis ajudar de alguma forma, e a forma que achei foi essa, doar um pouco do meu tempo e disposição para ajudar um grupo que ajuda tanta gente. Estou errado em não cobrar?

Ai vai de cada um!
Vai das suas intenções e modo de ver a vida.

Abraço no seis tudo!

Para saber mais acesse em breve novo site: http://www.plantaodoriso.com e siga @plantaodoriso

Centros de Voluntariado ajudam quem quer ajudar

Centros de Voluntariado ajudam quem quer ajudar

A função dessas organizações é aproximar o interessado em ser voluntário das entidades que precisam desta mão-de-obra. Com pouco mais de cinco anos de vida, os Centros de Voluntariado (CV) já são hoje um ponto de referência para qualquer pessoa ligada ao Terceiro Setor, seja ela alguém com muita vontade de ajudar ou uma entidade que precise de auxílio. Presentes nas principais cidades brasileiras e espalhados pelo interior do estado de São Paulo, os Centros tem como principal função aproximar o interessado em ser voluntário das organizações sociais que precisam dessa mão-de-obra e capacitar ambos para este tipo de trabalho.

O que é um Centro de Voluntariado?
Os Centros de Voluntariado são elos de ligação entre quem deseja doar seu tempo e trabalho para causas sociais e para aqueles que precisam de apoio e ajuda. São mantidos institucionalmente por grandes empresas nacionais e internacionais.

Quantos Centros existem no Brasil? Há algum centralizador?
Já existem 40 Centros no país, doze no estado de São Paulo. Não há um que centralize ou controle as atividades dos outros. O da capital paulistana (CVSP) é o mais antigo e, por isso, acaba sendo ponto de referência para os outros que já existem e para os que estão surgindo. Apesar disso, o objetivo é trabalhar em rede, trocando informações e experiências.

Quais suas atividades?
Os Centros de Voluntariado são, principalmente, locais que ajudam na interação e capacitação de pessoas físicas e jurídicas, além de serem pontos de encontro e intercâmbio de experiências e de divulgarem iniciativas bem sucedidas. No Centro paulistano, que trabalha com um cadastro com mais de 550 entidades, cerca de 50.000 pessoas já passaram pela instituição procurando uma entidade para ser voluntário ou pedindo ajuda. No site do CVSP é possível ter acesso a quais entidades são cadastradas.
Além disso, alguns CVs oferecem um curso de capacitação tanto para interessados em ser voluntários como para entidades que desejam recebê-los. Há também um plantão de orientadores diariamente para atender as necessidades/dúvidas das entidades e dos voluntários.

Qualquer pessoa pode montar um Centro? Como proceder?
Sim, qualquer pessoa pode montar um Centro. Para isso, os seguintes passos devem ser adotados – dê preferência, nesta ordem:

* verificar se já existe um em sua cidade ou região
* reunir um grupo de pessoas de vários segmentos que possuam representatividade no local e estejam convencidas da necessidade de um Centro de Voluntariado. Além de possuírem vontade e capacidade de liderança para mobilizar apoios e criar condições para que o projeto vire realidade
* analisar a realidade local para identificar quais são as necessidades sociais e os recursos disponíveis
* entrar em contato com outros centros para trocar experiências e convidar alguém de CVs já existentes para dar palestras e instruções de como o CV deve ser montado.
* definir a estrutura básica do Centro e a equipe indispensável para o início de suas atividades
* decidir a melhor maneira de começar a transformar necessidades em oportunidades de ação voluntária
* pegar uma cópia do arquivo do Guia Para Desenvolvimento de Novos Centros, disponível em qualquer CV e discutir com o grupo qual será o passo a passo das atividades
* antes de começar a receber os voluntários, visitar as ONGs (Organizações não-governamentais) da região para conquistar parcerias e capacitá-las a receber os voluntários. Quando já existirem entidades preparadas para atender a demanda, é que se deve abrir o novo Centro à população.

Como tudo começou?
Em 1996, o Conselho da Comunidade Solidária do Governo Federal lançou o Programa Voluntários, que tinha o objetivo de incentivar o trabalho voluntário e criar os Centros de Voluntariado. O Programa tinha tempo de vida determinado e almejava criar dez centros. Hoje, o projeto terminou, mas plantou uma semente muito maior do que esperava: além dos 40 CVs espalhados pelo Brasil, muitos outros estão em formação.