10 coisas que você deve saber ao chamar voluntários para sua Organização


Olá pessoal! Bom dia!

Passando hoje para compartilhar com vocês algumas dicas antes de chamar voluntários para sua organização.

Sabemos que não é simplesmente colocar um anuncio e esperar que todos venham e ajudem, é importante e necessário estar preparado para receber a todos, promover treinamentos internos e ter uma estrutura mínima capaz de dar condições para que voluntários(as) possam colaborar com alegria e resultados desejados pela organização.

As dicas a seguir são de uma das maiores especialistas na área do voluntariado, Silvia Nacache.

Esperamos que ajude no seu planejamento:


Atitude Solidária, abrindo caminhos para a prática do VOLUNTARIADO!


 

Anúncios

Ser VOLUNTÁRIO é SER HUMANO!


Marcelo Rachid de Paula

“O voluntariado é uma oportunidade excepcional para a prática do bem e da solidariedade”.

Ser voluntário é muito mais que oferecer uma parte de seu tempo, é muito mais que olhar para a necessidade do outro, muito mais que fazer parte de uma maravilhosa corrente, muito mais que colocar o seu entendimento e experiência em benefício do todo, vai além das expectativas do ser humano e o coloca em destaque, tanto para quem doa, quanto para quem recebe.

O voluntário é um guerreiro silencioso que não busca fama, dinheiro ou oportunidade de riquezas, apenas dá o que tem de melhor. A visão do voluntário é ampla e bela, pois tem um alcance infinitamente maior sobre o que acontece ao seu redor e se integra a estas condições sempre com muita entrega e determinação.

Atuo na área do terceiro setor há 10 anos e uma frase que ouço constantemente é: “Gostaria tanto de ajudar, mas não sei como.”

Existem hoje no Brasil cerca de 600.000 organizações sem fins lucrativos atuando em diversas áreas (social, educacional, ambiental, saúde, cultural, esportivo, etc.) e cada uma delas apresenta oportunidades para que as pessoas possam oferecer sua capacidade e experiência em favor deste maravilhoso setor da economia através da doação pessoal e intransferível!

Cada uma delas tem a sua missão e apesar de muitas realizarem e colocarem em prática projetos de naturezas semelhantes têm peculiaridades diferentes, levam soluções e amenizam a dor e o sofrimento de muitas pessoas, proporcionando condições para que a vida de todos os envolvidos melhore consideravelmente.

Nos EUA e Europa, esta prática é bem mais difundida, com as pessoas tendo a plena noção de importância para este tipo de atitude. O que se deve salientar nestes locais e que diferem muito da nossa realidade aqui no Brasil é a legislação existente, voltada para o crescimento do setor e da sociedade (leia e conheça o modelo Canadense), bem diferente da nossa, ainda muito vaga e clientelista, “forçando” as instituições a estarem sempre com o “chapéu na mão” para conseguir recursos, além de dificultar a busca de voluntários, tão importantes para a realização de seus processos e ações internos e externos.

Outro fator de grande importância que destaco e que especialistas em RH vem reiterando de forma mais concreta, é que o voluntariado hoje, além das benesses oferecidas aos assistidos, além do bem estar sentido por quem está ajudando, também abre a possibilidade de estarem conseguindo oportunidades de um emprego fixo e permanente, pois a visão dos empresários para este tipo de atitude está crescendo de forma benéfica e produtiva e com a visão voltada à responsabilidade social.

É deste universo que falo e indico para aqueles que se encaixam no perfil de pessoas que podem doar pelo menos 01 hora por semana em favor de alguma causa.

É muito fácil! Somente basta desejo de ajudar, aliado ao comprometimento com a causa.

Ser voluntário é Ser Humano…


Marcelo Rachid de Paula

Formado em Gestão de Negócios e da Informação e Pós-graduado em Gestão Empresarial.

Desde 2007 atuando no Terceiro Setor com ações de Consultoria, Apoio, Orientação e Capacitação de pessoas através de cursos e eventos desta maravilhosa área da economia.