Voluntarismo ou Voluntariado?

Olá!

A nossa proposta hoje é discutir um tema apaixonante e intimamente ligado ao progresso e crescimento das comunidades.

Existem diversas formas de exercer o direito à cidadania, porém, um dos mais efetivos, trata-se do “VOLUNTARIADO”, o qual é movido por um combustível inesgotável chamado “SOLIDARIEDADE”. O grande diferencial do voluntariado é que não depende de fórmulas mágicas ou burocracias que as pessoas adoram criar, mas sim pelo simples desejo de ajudar…alguém, uma causa, um projeto…a si mesmo.

Para conhecermos um pouco mais sobre o que é Voluntariado, vejam a seguir uma matéria exibida no site do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) Brasil, que trata de diferenças nas relações dentro da prática voluntária e solidária.

ONG alia voluntariado ao desenvolvimento
Ciclo de Palestras do PNUD apresenta trabalho da Parceiros Voluntários, instituição que se destaca na promoção do tema

do PNUD

Voluntarismo é diferente de voluntariado organizado. Enquanto o primeiro é motivado pela busca da satisfação pessoal de quem o pratica, o segundo se dedica às necessidades do outro e tem como foco o bem coletivo. Nesta síntese, Maria Elena Pereira Johannpeter, presidente da ONG Parceiros Voluntários, tenta explicar algumas nuances que distinguem o trabalho profissional e consistente da instituição, cujas ações têm contribuído para o desenvolvimento de comunidades menos favorecidas no sul do país.

Convidada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para apresentar a mais recente edição do Ciclo de Palestras sobre Políticas Públicas, em Brasília, Maria Elena dividiu suas experiências à frente da ONG, que completou 15 anos de atuação. A temática em debate vem ao encontro das iniciativas da ONU para promoção do voluntariado, no ano em que a instituição comemora o Décimo Aniversário do Ano Internacional dos Voluntários, e também do Dia Nacional do Voluntariado, celebrado em 28 de agosto.

 

Em uma década e meia de trabalho, a Parceiros Voluntários cresceu em números e em reconhecimento público. Atualmente, a instituição mobiliza mais de 372 mil voluntários, 2.482 empresas e 1.975 escolas em 82 cidades do Rio Grande do Sul (RS). Através de sua atuação, que envolve ações de mobilização, articulação, formação de indivíduos e instituições e estímulo a redes e parcerias para o atendimento a demandas sociais pelo trabalho voluntário, a ONG já beneficiou mais de 1,4 milhão de pessoas. “Atuamos em causas já instituídas: crianças, alfabetização, HIV”, exemplifica Maria Elene. “Os resultados obtidos são o combustível que nos alimenta para continuar voluntariando”, completa.

 

Um dos projetos do qual a ONG mais se orgulha chama-se Tribos nas Trilhas da Cidadania (veja o vídeo no final da matéria). Trata-se do maior movimento de voluntariado jovem do Brasil. Em 2010, 108 mil estudantes dos ensinos fundamental e médio do Rio Grande do Sul em escolas públicas e privadas foram envolvidos na iniciativa. O trabalho da ONG junto às empresas também merece destaque. A instituição fomenta a criação dos Comitês Internos de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e promove cursos de capacitação gerencial e de desenvolvimento de lideranças para organizações do Terceiro Setor.

 

Valores

 

As diferenças entre voluntarismo e voluntariado também ajudam a explicar os alicerces em que se fundamenta a Parceiros Voluntários. Enquanto o voluntarismo é feito de ações eventuais e isoladas, muitas vezes destinadas a ajudar um indivíduo, o trabalho voluntariado feito de maneira organizada possui estratégia de longo prazo, dedica-se a causas, tem como base a mobilização social e possui acompanhamento constante e avaliação de resultados.

 

Tais características fazem com que esse tipo de ação provoque mudanças positivas que se estendem do indivíduo ao coletivo, multiplicando valores como o respeito e a cidadania, proliferando as boas práticas, criando e desenvolvendo vínculos duradouros e proporcionando melhoria efetiva na qualidade de vida dos beneficiários.

 

“O voluntariado é acima de tudo um processo educador. É um caminho que passa pela educação para a solidariedade, a cidadania e a mudança comportamental. É, ainda, um processo que requer tempo”, explica Maria Elena, cujo trabalho se traduz na soma de idealismo, paixão e profissionalismo.

 

A Parceiros Voluntários é uma das instituições que integra a Rede Brasil Voluntário, parceira da ONU na campanha que comemora o décimo aniversário do Ano Internacional dos Voluntários.